terça-feira, 31 de março de 2009

Em Breve...

...um portfolio online como deve ser.

Sierra Nevada

No ano passado o meu apêndice teve a infeliz ideia de contrair uma infecção por acumulação de matéria fecal - uma semana antes das minhas férias de neve! Bem sei que seria mais simpático chamar-lhe apenas apendicite aguda, mas o raio da protuberância intestinal merece saber exactamente a merda que fez.

Com a ajuda de uma grande amiga (doutora ruivaça com uns caracóis lindos) o prevericador foi prontamente apendicectomizado sem dó nem piedade, mas o plano de férias ficou arruínado. É certo que ninguém me disse que não podia fazer snowboard com um buraco de 5cm na barriga preso com agrafos, mas isso pareceu-me tão desnecessário como dizer ao Edurado Mãos de Tesoura que, por muita comichão que tenha, deve evitar coçar os tomates.

Este ano felizmente não tive nada que me impedisse de ir surfar para a montanha. Por outro lado também não tive nada que me impedisse de me partir todo num salto mal calculado. O ombro direito ficou com qualquer coisa supra-espinal avariada, e o pulso com uma lesão com um nome estrangeiro. Tivesse eu 16 anos isto seria impressionante para as miúdas, mas aos 34 parece que é só estúpido...

Também houve momentos bons, naturalmente. Certo dia estava eu aos saltos com a prancha a tentar chegar ao declive de uma pista, quando levo com uma babe snowboarder em cima. A miúda não devia ter muita prática e estava a contar com o espaço livre que eu ocupei a subir a pequena elevação. Eu caí plano de costas no chão e ela caiu sentada em cima do meu peito. Era fofinha a moça. E bem disposta porque estava rir-se alarvemente do incidente. Mais à frente estava o meu amigo Samuel, que já se tinha posto ao telefone a relatar a ocorrência a não sei quem: - Olha! O Krippahl já levou com uma babe em cima e tá aqui a chegar com um sorriso de orelha a orelha.

Pois. Ele é Bárbara Guimarães, ele é chicas snowboarders... O sorriso só se desvaneceu quando reflecti melhor sobre a questão e percebi que só mesmo por acidente é que me caem miúdas em cima.

O resto das férias foi o normal numa estância de ski. Subir, descer, subir, descer, subir, descer, comer bocadillos, subir, descer, comer neve, subir, descer, comer anti-inflamatórios e analgésicos, subir, descer...

video

video

segunda-feira, 2 de março de 2009

Desafio da Joaninha - Epílogo

Ok, o título é um bocado pretensioso. Afinal de contas a única coisa que vocês querem mesmo saber é se o ponto 4 é mesmo verdade. É.

Foi no colombo há uns anos atrás. Estava eu distraído a tentar navegar por entre uma manada de gente quando o impensável (embora extremamente desejável) aconteceu. Aparentemente a Bárbara também ia distraída a dobrar a esquina, e lá fomos um contra o outro. A minha estatura mediana chocou contra a sua cavalice de saltos altos, impacto porventura perigoso se não tivesse sido amortecido pelas voluptuosas protuberâncias mamárias da Sra Guimarães. Ficámos ambos para sempre marcados por este encontro. Até este dia o Carrilho ainda acha que o hábito que a Bárbara tem de esfregar pêssegos carecas no peito é algum tratamento de beleza.

Quanto aos restantes pontos, a verdade reza assim:

1) Saco 360º em saltos de snowboard.
Tecnicamente até é verdade, mas para efeitos de habilidade na prática do desporto em questão, os 360º que eu faço a rebolar pela montanha abaixo depois de ter caído de boca não contam como manobra. Falso.

2) A minha alcunha na tropa era Pedigreepal.
Verdadeiro. A cara de felicidade do cabo que se lembrou da piadinha indicava que teria sido provavelmente a melhor graçola que alguma vez lhe brotou do neurónio. A maior parte do tempo o melhor que conseguia era gritar - O CARALHINHO! a tudo o que se lhe dizia.

3) Sou ambidestro.
Verdadeiro. Desenho com a esquerda, escrevo com a direita, chuto com a esquerda, sou goofy no snowboard, faço metade da barba com cada mão e como com os talheres normalmente excepto se fôr só uma colher ou só um garfo. E para que acredita que vai ser o primeiro a fazer piadinhas sobre que mão faz mais o quê, não é.

4) Já fui de encontro aos majestosos seios da Bárbara Guimarães.
Verdadeiro. Nos meus sonhos o blog da Bárbara tem um post sobre o dia em que foi de encontro à careca sexy do Krippmeister.

5) O meu sistema imunitário é um bocado como um daltónico na brigada de minas e armadilhas.
Verdadeiro. Mas com a diferença de que o daltónico na brigada de minas e armadilhas só faz merda uma vez, enquanto o meu sistema imunitário faz merda desde os 14 anos.

6) Gosto de pessoas com quem possa partilhar longos momentos de silêncio não constrangedor.
Verdadeiro. Esta parece ter criado alguma confusão, mas eu explico: Gosto de pessoas com quem possa partilhar longos momentos de silêncio não constrangedor.

7) Tenho umas canadianas todas kitadas com autocolantes do Guitar Hero.
Verdadeiro. É infantil? Sim. É ridículo? Sim. É feio? Sim. E eu por acaso preocupo-me com isso? Não.

8) Sou cristão católico apostólico evangélico eclesiástico romano.
Falso. Cruzes credo! Deus me livre!

9) O melhor álbum do mundo é o dos temas dos Delfins em canto gregoriano.
Falso. Estive para escolher o dos temas do João Pedro Pais em flauta de pan, mas as musícas do JPP beneficiariam tremendamente de não ter nem as letras do JPP nem o próprio JPP, pelo que escolhi o dos Delfins pela sua qualidade excecrável de carácter transcendente e imutável.