quinta-feira, 17 de maio de 2007

O Flagelo Tipográfico da Humanidade

Em 1995 o Sr. Vincent Connare, na altura a trabalhar na Microsoft, recebeu uma versão beta de um software para crianças intitulado Microsoft Bob, onde figurava o cãozinho Rover, que falava através de balões de diálogo em estilo BD com o texto em Times New Roman. Connare sentiu, e muito bem, que o tipo de letra não servia o aspecto cartoony que se pretendia, e decidiu desenhar uma nova tipografia para o programa. Baseando-se em vários livros de banda desenhada (principalmente em The Dark Night Returns da DC Comics) criou a font Comic Book, que mais tarde decidiu chamar de Comic Sans por achar o primeiro nome um bocado parvo. De início a font foi incluída no Windows 95 Plus Pack, sendo posteriormente adicionada como font de sistema na versão OEM do windows 95 e mantendo-se até a versão actual do sistema operativo.

Acontece que odeio a Comic Sans com todas a células de designer do meu corpo. É um ódio visceral. Mas a culpa não é do bem intencionado Vincent Connare, como ele próprio explica: "A Comic Sans não foi projectada para ser um tipo de letra, mas apenas uma solução para um problema com a parte mais vulgarmente negligenciada do interface de um programa - a tipografia utilizada para comunicar a mensagem. Não houve intenção de incluir a Comic Sans em nenhuma aplicação que não aquelas especificamente desenhadas para crianças."

A font em si não é má, foi a sua utilização abusiva e desregrada que tornou a Comic Sans num dos maiores flagelos do design (juntamente com o espremedor em forma de foguetão do Phillipe Starck e a cadeira Wassily do Marcel Breuer). Está por todo o lado - menus de restaurante, convites de casamento, anúncios de vitrine, web sites, relatórios médicos e outros que tais.

É sem dúvida encantador receber a análise médica com o resultado positivo do glioblastoma multiforme inoperável num tipo de letra jovial e divertido que faz parecer que é o Pato Donald quem lhe está a dizer que tem menos de um mês de vida, mas o caso mais paradigmático do uso abusivo deste tipo de letra é a lápide escrita em Comic Sans. Há lá coisa mais linda? Se fosse a minha lápide certamente que a minha alma careca voltaria do além a espumar ectoplasma da boca com sede de vingança. Por mim até poderia ser escrita em Wingdings ou Cyrillic que estaria tudo bem, mas Comic Sans...

Para os fundamentalistas dos Macs que se estão a rir a pensar que a Apple é que é, e que o Mac não têm cá dessas fateladas de fonts infantis, e que até os atilhos que seguram os fios do teclado foram projectados por uma equipe de pelo menos 500 designers e 700 engenheiros, ficam sabendo que a Comic Sans foi a font default do Apple ICards na web, quando foi lançado. Mais tarde a Apple produziu uma cópia da Comic Sans a que chamou Chalkboard, que actualmente é uma font de sistema no Mac OS X.

Para se juntar à luta ou comprar propaganda anti Comic Sans, visite o site www.bancomicsans.com

11 comentários:

joana disse...

Realmente a coisa adquiriu uma escala inimaginalvel!!
Coitadinho do Sr, não sei quem é mas tenho muita pena dele!

Allanah disse...

Totalmente e completamente de acordo! Esse tipo de letra devia ser banida dos programas... Mas infelizmente ainda ha muita gente que acha um maximo.. Quanto à lapide... As pessoas chegam a cada extremo..

Anónimo disse...

Olá Joana,
é uma senhora, diz que «aqui jaz a nossa querida mãe e avózinha» (em holandês). Quem põe "avózinha" numa lápide não pode ser suspeito de muito bom gosto, pois não? A escolha da letra até é consequente :)
Cristy

joan disse...

AVOZINHA!!!????
Avozinha é muuuuito bom para uma lapide não há duvida, dito isso está tudo explicado!!
Mas a cristy fala holandês?
Esta familia Krippahl é uma caixinha de surpresas!!

Anónimo disse...

Não, Joana, não falo nada de holandês. É só por falar alemão que consigo entender o holandês escrito, porque as línguas têm bastantes semelhanças.
Mas lá que a família Krippahl é uma caixinha de surpresas, isso concordo plenamente :)
Um abraço,
Cristy

joana disse...

Olá Cristy
Pronto está bem fala alemão que parece holandês enfim....Gente pouco culta ora pois!
Por aqui é só portugues (fraquinho) e ingles (mediocre) e já é uma sorte, hihihi.
Um abraço

Allanah disse...

Eu nao percebi nada do que a lapide dizia e fiquei parva quando li aqui o seu conteudo mas realmente... quem escreve assim so podia usar este tipo de letra...

António Parente disse...

Magnífico post!

Patricia disse...

As coisas que este rapaz sabe...

Perdido disse...

Desde que vi alguém chamar-lhe "Vomit Sans", nunca mais consegui dar-lhe outro nome...

leprechaun disse...

Homessa!!! Mas isto é publicidade de borla e da melhor lá para a tal fonte... hummm... será que este não é nenhum movimento pró... encapotado?! ;)

O tipo de letra parece-me normalíssimo e nem vejo nada de especialmente infantil na mesma, imitando a caligrafia bem feitinha... that's all!

Bem, como só a estou a ver aqui no ecran, não posso julgar muito cabalmente a sua aparência impressa, se bem que não tenha propriamente aquele ar mais sisudo que associamos a documentos oficiais, é verdade.

Por outro lado, também não é tão floreada assim, como por exemplo a Vivaldi curvilínea e barroca... where's the problem?!

Por fim, nem sei de facto se esse site é genuíno ou não... parece!... mas seja qual for o seu propósito é muito óbvio que apenas serve para dar a conhecer a tal Comic Sans a quem nunca tinha reparado nela, como eu próprio.

Ou seja: what you resist persists...

Rui leprechaun

(...ignore it, don't insist! :))