domingo, 9 de setembro de 2007

Olé!

Foi com um profundo pesar que li num jornal a notícia do acidente de treino do Pedrito de Portugal, no dia 6 de Setembro, em que uma queda sobre a espada lhe feriu a perna esquerda. Mais concretamente, foi com um profundo pesar que li que o anormal sobreviveu.

Que excelente oportunidade de nos vermos livre desse cretino de sapatinho de ballet cor de rosa e lantejoulas que espeta ferros em touros para gáudio de uma cambada de labregos mentecaptos. Não só teve o descaramento de não morrer, como ainda foi para o hospital gastar o dinheiro dos nossos impostos em tratamentos.

Já não é a primeira vez que o Pedrito nos faz uma desfeita destas. Ao que parece ele tem levado cornadas em tudo o que é arena por esse mundo fora, mas por alguma razão teima em não morrer.
Seria de esperar que um azelha no toureio tivesse a mesma esperança de vida que um daltónico na brigada de minas e armadilhas, mas não - a tourada é um duelo tão desequilibrado a favor dos mariconços dos toureiros que mesmo o nabo do Pedrito, que quase se matou sozinho com a própria espada, consegue brilhar como matador. Há uns tempos ainda foi colhido na zona genital, mas tem tanta sorte com os malditos dos cortes “limpos” que não furou sequer os intestinos. Estou tão desalentado com a aparente imortalidade desta figura da cultura lusa que já me contentaria com uma cornada que lhe provocasse azia...

Em 2001 elevou-se de forma sublime na sua cretinice e matou um touro na arena, tendo sido condenado a pagar uma multa no valor de 100.000 euros. Mais tarde afirmou: “Naquela noite, as pessoas começaram a gritar "mata, mata" e levantaram-se com lenços brancos na mão. Fui levado pelo momento. Depois, a multidão levou-me em ombros pelas ruas da cidade”. Eu proponho que na próxima corrida o público se levante a gritar “morre, morre” com lenços brancos na mão. Com um bocado de sorte o Pedrito é “levado pelo momento” e manda-se outra vez para cima da espada. Olé!

9 comentários:

Abobrinha disse...

Olé, Herr Krippmeister


Tenho que te dizer que nunca pensei ir a uma tourada. Mas dada a paixão dos toureiros pela sua arte e a perspectiva de poder contribuir para a erradicação daquela praga ao gritar "mata-te, mata-te" ao "som" de lenços brancos... posso considerar comprar bilhetes de época.

Vejo ainda (e olha que sou míope) a tua preocupação com os meus primos touros. Marcaste uns pontos comigo! E já vais à minha frente no Expresso online, porque eu lá só tenho 1 ponto... o que quer que isso queira dizer, que eu ainda não percebi!!

De facto também nunca entendi como é que uma coisa tão máscula é feita com um fato tão amaricado! Como dizia um conhecido meu que eu nunca conseguiria seduzir nem que me esforçasse muito: paneleirices!

De resto, está tudo dito!

Allanah disse...

Olha lá... no meio disto tudo explica la porque e que lhe tens um odio tao visceral? Fez-te algum mal o homem? Nao sou contra nem a favor das touradas, nao as vou ver, mas nao critico quem gosta, acho que cada um sabe de si! Nunca vi o pedrito a actuar, mas realemente parece-me patetico um gajo espetar-se na propria espada... que tótó!!!!! Agr, dai a desejar-lhe a morte...

Krippmeister disse...

Imagina que conheces uma pessoa que tortura cães espetando-lhes ferros ferrugentos, para se divertir e sentir realizado, e para entreter umas centenas de outras pessoas igualmente doentias. Não desejarias que um dia ele fosse mordido até à morte?

Abobrinha disse...

Allanah

Não tens hipótese: é dos touros que eles gostam mais!

Os touros são bichos simpáticos, inteligentes e sensíveis e não merecem que animais lhes façam maldades e outros animais ainda por cima aplaudam.

O Herr Krippmeister é solidário com os touros (moi incluída) e eu solidária com os caranguejos e todas as criaturas de Deus, menos as que torturam as primeiras. Incluindo ateus, dos dois lados.

Pensando bem, acho que neste momento me tenho sentido muito solidária com animais vegetarianos e de grande porte. Dito isto, não sou esquisita!

Louvo-te a isenção em relação às touradas, mas eu não tenho essa nobreza de espírito: tenho muita coisa contra e não faço segredo disso! Não ganho muitos amigos com esse tipo de atitude, mas o meu objectivo único de vida não é fazer com que os outros gostem de mim.

Nuno Coelho disse...

Allanah,

Tem este comentário o unico propósito de te convidar para uma allanahda. Trata-se de uma festa tradiconal entre nós, na qual se cravam ferros ferrugentos nas costas de Allanahs, e toda a gente se diverte. Os Allenahs estebucham um bocadito, mas depois a gente mata-os, e fica o caso arrumado.

Não deixes de vir, verás que é divertido. Só um conselho, não entres pela porta dos artistas.

Allanah disse...

LOL. Sim, vou ja a correr. Como disse, não sou fã de touradas exactamente porque gosto muito de animais e me faz uma certa confusao, mas, tambem nao me acho assim tao superior aos outros ao ponto de condenar quem gosta! Pessoalmente acho uma barbaridade, mas ha quem nao ache! Tambem nao gosto de caça e nem por isso critico quem a pratica! Cada um sabe de si, e eu nao sou ninguem para decidir o que as pessoas devem gostar ou nao! E quanto a desejar a morte? Nao desejo a morte a ninguem, nem ao meu pior inimigo... nao odeio ninguem, nao tenho ressentimentos e nao culpo ninguem por o que quer que seja, nao ia começar pelas touradas! Eu guio-me pelos meus principios, mas nunca os vou tentar impor a ninguem! E nisto sim eu acredito, cada um é livre de gostar do que quiser!

Allanah disse...

Só uma coisa... menti quando disse que nao desejava a morte a ninguem, desejo fervorosamente a morte a todos os pedofilos existentes a face da terra e tenho como principio o facto de se algum sequer se aproximar da minha filha eu mato-o! E é a unica situaçao em que eu desejo a morte a alguem.

Joaninha disse...

Ui eu a morte não sei se desejo, mas uns belos anos de sofrimento daquele a beirar o insuportavel, isso existem para ai muito a quem ando a desejar já algum tempo!!

O Bocas disse...

Sobreviveu! Se lhe tivesse trespassado o tomate esquerdo (peço desculpa pela espressão) não era mal feito. Assim ele já não seria homem para enfrentar um touro (ou por outra, seria porque é melhor dar desconto a uma eventual estupizer estupidez).