segunda-feira, 6 de abril de 2009

Pérola da Comunicação

Lisboa, 6 de Abril de 2009 / 20:53 - Av. Norton de Matos, junto ao Museu da Cidade.

Fiquei tão maravilhado com a imagem que parei para tirar a fotografia. Depois esperei na berma da estrada a ver a reacção das pessoas à sinalética contraditória. Alguns fizeram como eu, e antes de atravessar pararam para olhar para o semáforo dos automóveis, que funcionava como deve ser. A grande parte, no entanto, partiu do pressuposto de que se a luz vermelha e a verde estão ambas acesas, então é a verde que conta. Lógico.

Cheguei à conclusão que o optimismo suicida que leva a Joaninha a atravessar a estrada à maluca nas suas corridinhas bamboleantes empertigadas sobre saltos de 12 cm, não é de forma alguma um fenómeno pontual. Imediatamente me veio à memória uma outra amiga que atravessa as passadeiras sem nunca abrandar o passo, nem olhar para os carros. O seu mantra é: “Se me atropelarem são eles que pagam!” Isso pode bem ser verdade. Porém a minha intuição diz-me que o problema de levar com tonelada e meia de ferro na tromba se insere mais no domínio da física que da economia.

8 comentários:

Abobrinha disse...

Creeeeeeeeeeedo, que perigo!

Eu mesma! disse...

Saltos com 12 cm??????

isso é que é perigoso!

Krippmeister disse...

Ah... ms ficam-lhe lindamente :P

Joaninha disse...

Vocês deviam ver a carinha de sofrimento aqui do Dr. Krippahl cada vez que eu me lanço a atravessar a estrada, hehehe, um dia destes tiro-lhe uma fotografia :)

Eu mesma,

Na realidade 12 cm só tenho 2 pares, o resto anda ali nos 8 a 10, mais estaveis portanto.

Beeeijos

Anónimo disse...

"Na realidade 12 cm só tenho 2 pares,§

Joaninha,
e dás aulas sobre como andar com isso sem espalhanços, sobretudo a atravessar ruas lisboetas? :-)
Cristy

JPVale disse...

Que tal processar a CMLisboa?
Daqui a trinta anos, quando o caso estiver resolvido, terão carcanhol para bué viagens a Andorra e para umas tantas cadeiras de rodas... :)

Joaninha disse...

Cristy,

Dou sim senhora, e quando a coisa falha, ensino também a cair com imenso estilo...:)
A conta do sapateiro é que aumenta exponencialmente, graças ao efeito descaascador de saltos que tem a nossa tão tipica calçada à portuguesa...Claramente Lisboa não foi feita para mulheres elegantes :)

(gaba-te cesto)

beijos

Salto-Alto disse...

:O :O Incrível!

Quanto à tua amiga, eu uso esse argumento para só atravessar nas passadeiras! Sim, porque é um perigo andar de salto agulha nas calçadas portuguesas! Assim, se calhar de ficar presa e ser atropelada, sempre estava na passadeira!