quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Uma dúzia de um só ovo

1/24 de segundo é quanto dura a obra de arte mais curta da história. É um filme de um só frame da autoria do artista Ken Jacobs. Segundo um senhor chamado Harry Kreisler, o trabalho de Jacobs "cria experiências desorientadoras que potenciam o observador, combinando elementos de tragédia, comédia, história e mistério".

É só no universo intelectualóide da arte que o Ken pode fazer um filme de um só frame. É o equivalente a fazer uma fila de um só carro, um tripé de uma só perna ou uma dúzia de um só ovo. Pode chamar-se uma dúzia a um só ovo, mas para convencer alguém de tamanha parvoíce, é preciso tornar a coisa artística e atribuír-lhe um preço com uma dezena de vários zeros.

Mais, alegadamente a obra cria experiências, potencia o observador, e combina elementos, tudo numa fraccção de segundo. Claro, não foi por acaso que o artista filmou a 24 fps, tivesse escolhido o formato NTSC, e a sua obra passava a durar apenas 1/30 de segundo, o que deixaria muito pouco tempo para potenciar fosse o que fosse.

Ainda assim, a ideia de um filme de um só frame não é de todo inédita. O Manoel de Oliveira faz filmes de um só frame há pelo menos 170 anos, a diferença é que o Oliveira repete o mesmo frame durante três horas seguidas.

Alfred Hickling do The Guardian observou: "A obra não conseguiu um lançamento no grande ecrã". Se calhar conseguiu Alfred, mas espirráste no momento em que passou e não viste...

7 comentários:

Joaninha disse...

Há alguma razão para o post estar repetido 3X.
É para teres certeza que a malta lê?
Digo-te que não entendi nada, como é que é isso do PAL e mai não sei que???
Mas a obra deve ser linda, um xuxu!

Krippmeister disse...

O post repetido 3x deveu-se a um ajuste assíncrono dos protocolos V.D.I.X. e A.S.S.R.T. nos canais de retransmissão segura do browser, que o servidor da blogspot interpretou como sendo um package de pedidos de actuamento das funções low-level através do bus principal da RAM, pelo que cedeu prioridade aos dados processados em paralelo sem fazer corresponder a os tags na informação da cache.
Ou então fui eu que cliquei três vezes no botão "post"...

O sistema PAL é o formato de vídeo standart utilizado na europa. O número de imagens por segundo em sistema PAL é 25fps (na verdade o mais provável é o ken ter filmado a sua obra em formato de cinema, por isso já rectifiquei o post). O sistema NTSC é usado sobretudo nos estados-unidos e tem um framerate de 30fps.

Eu tambén não vi a obra, mas seja como for não me parece que isso seja muito relevante hehe.

Joaninha disse...

Pois claro que sim, (agora estou a fazer aquela cara muito inteligente de quem estar a entender tudo o que está a ler)
Devo dizer que criticar a obra sem ver é muito feio, é como dizer que não gostas de um prato sem teres provado.
Embora alguns pratos sejam repgnantes só pelo cheiro. Deve ser isso, só a ideia é suficiente para merecer tal critica. Compreendo é com as lulas gisadas
Mas que comentario confuso ;-)

Krippmeister disse...

Não vi este "filme" de um frame, mas vi outros representativos de trabalho do Ken Jacobs. Basicamente são umas manchas de luz a mexer-se tipo gosma e a piscar de uma forma altamente desaconselhada a epilécticos fotosensíveis.

Acredita quando te digo que o melhor que o filme de um frame tem é mesmo a sua curta duração...

Para quem estiver interessado em fundir os neurónios e ficar a espumar da boca com os olhos revirados a olhar para o cérebro, aqui fica um link para uma "obra" do Sr. Jacobs.

http://www.youtube.com/watch?v=tK9MnO-x6R8&mode=related&search=

Joaninha disse...

hoje o Krippmeister está triste que eu sei, por isso todos juntos a cantar.
Viva o krippmeister e não penses mai nisso
Outra virão (biclas) e te farão feliz!

BJS
CC

Krippmeister disse...

Bigado Joaninha! Mas é mesmo assim... Roubar compensa mesmo. Basta ver que eu paguei 300 euros pela bicla e o filho da p**a que a gamou levou-a de borla.

Pelo menos fiquei com uma roda, mas como não tenho intenções de me juntar ao circo, não me serve de muito.

Valeram as palavras de apoio :)

Patricia disse...

Aproveitando as analogias, um filme de um só frame é como um livro de uma só folha (mais conhecida como monofolha ;)

Estou contigo nesta revolta...

*****