segunda-feira, 27 de outubro de 2008

As vicissitudes do Ego

Num comentário ao post anterior, a Salto-Alto disse o seguinte em relação aos videojogos: “Só gosto de ganhar mesmo. E se for a meninos, melhor. E se os ganhar por mérito meu (e não porque me deixaram) num jogo de futebol ou de corridas, a vitória tem um sabor divinal!”. É certo que ela é advogada e esteve cinco anos a ser treinada para humilhar pessoas em público. Mas esta sua gratificação em se superiorizar ao sexo oposto é generalizada, pelo que a questão mereceu este post.

Eu entendo a Salto. A verdade é que ego masculino vive ainda na era da inquisição. A nossa masculinidade está permanentemente sob escrutínio e deve portanto ser reafirmada a todo o momento. E afirmar a masculinidade passa sobretudo por ser superior às mulheres nas coisas realmente importantes da vida, como por exemplo dizer o abecedário em arrotês, dar chutos numa bolinha de couro, ou conduzir um canalizador italiano com voz de castratto numa corrida de karts. O herege do séc. XXI é aquele que não se mostra apto nestes e muitos outros testes de virilidade instituídos. E como tal é devidamente punido.

- Então e a Angelina pá? Ui, fazia-lhe tudo!

-Por acaso não me seduz nada. É esquelética. Parece que já morreu e ninguém lhe disse. E os lábios? A mulher deve ser alérgica ao próprio batom.

- Paneleiro! Prá fogueira!

Perder num videojogo com uma mulher só é aceitável se fôr no Tricô Simulator, ou quanto muito no Shopping Tycoon. Qualquer outro jogo insere-se no domínio da masculinidade. A mulher que ganhe nesta categoria viril tem não só a satisfação da vitória, como também o bónus de ver o homem a inventar desculpas cretinas para tentar salvar a sua imagem, enquanto clica nervosamente no start para mudar para outro ecrã que não o que diz “YOU LOOSE”.

- Epá fofinha! Se não fosse a ressaca da festa de ontem tinhas levado uma teca!

- Mas querido eu também bebi ontem...

-Sim fofinha, mas como toda a gente sabe 99% do cérebro da mulher é uma massa inerte, portanto dificilmente o alcool afecta aquela minúscula partezinha funcional.

Outra relação complicada para o ego masculino é a do homem baixinho com a mulheraça alta. Já vi de tudo, desde obrigar as moças a andar sempre de salto raso, até carregar um banquinho especialmente para as aparições públicas. Mais ridículo que um homem baixo ao lado de uma mulher alta, é um homem baixo a tentar desesperadamente ser alto ao lado de uma mulher alta a tentar condescendentemente ser baixa.

Estas situações são inevitáveis. São as vicissitudes. Aguente-se. O segredo está em saber tirar o que há de melhor e partilhar a experiência. Eu já estive em ambas, portanto falo-vos do lado da experiência pessoal.

Depois de meses como o campeão inabalável de Mário Kart nos campeonatos da hora de almoço, fui finalmente derrotado pela Joaninha, que com determinação e habilidade se tornou uma corredora exímia. Ela ficou radiante com o seu feito e eu também. Foi uma festa assinalada com post e tudo, e a partir daí a competição tornou-se muito mais divertida, com os campeonatos a serem decididos frequentemente na última corrida. Não houve sequer espaço para egos feridos.

Quanto á questão das mulheres mais altas a resposta é simples: É mais alta? Óptimo! Há mais para escalar :)

13 comentários:

Salto-Alto disse...

:O

Bem, que honra! Lugar de destaque no teu cantinho? Estou de parabéns! ;p

Este texto está do melhor. Mais uma vez, consegues, a partir de um pequeno texto, fazer uma reflexão magnífica E com humor!

O pior +é que tens razão! ;p

Homens, leiam este texto! E, pelas vossas alminhas, tirem alguma conclusão! Nem que seja só uma conclusão de uma expressão que contenha apenas uma palavra "feia". Mas esforcem-se! :)

Mais uma vez, parabéns!

beijocas!

Salto-Alto disse...

Hehe, vou já republicar o teu texto no meu blogue!

Krippmeister disse...

Republica aí á vontade linda, a honra é toda minha :)

Bjinhos!

Miguel Krippahl disse...

Perder para uma mulher?
hmmm

Deve ser interessante.

Quqlquer dia deixo uma ganhar, só para ver qual é a sensação.

Salto-Alto disse...

Caro Miguel Krippahl: não pode ser ganhar porque o homem deixou. Ná ná! A mulher tem que ganhar por mérito! Assim é que é! ;p


Servindo agora de pombo correio, eis o que comentou a Lucia:

"Adorei o post!!! Muito bom mesmo...Ainda bem que existem homens a sério que consegue ver a realidade em vez de a camuflar com a "virilidade" característica dos homens... :)"

Salto-Alto disse...

Miss Kitty disse...

Porque não são todos assim?)))
Adorei o post!

*BJS*

Joaninha disse...

Krippa,

Realmente tirando aquele episodio triste de quem é que ia ou não à frente da corrida, de resto foste sempre um cavalheiro moderno que nunca se importou de perder :)

beijos

Krippmeister disse...

Hahahaha! Isso não foi um episódio triste. Foi desinformação táctica. Não me importo de perder, mas também não me importo de usar todas as armas á disposição para ganhar. Não é sra. imune a nukes?

os krippmeister specials também causavam feridas emocionais muito profundas a quem ia sair da rampa a pensar que chegava ao outro lado :)

Patricia disse...

Ai está a magia das mulheres, conseguirem dar a volta com 1% do cérebro a funcionar, contra 100% do cérebro (ainda que embriagado) de um homem.

Já dizia o outro: não importa a quantidade que se tem, mas o que se faz com ela.

;)

*****

Patricia disse...

ela = a quantidade

(já sei como essa mente funciona e não tardarás a dar outro sentido a "ela")

;)

Krippmeister disse...

Opá... Antecipaste-te...

:)

Ninja! disse...

Hihi, a propósito das desculpas, inspirei-me para comentar o último post da Salto-Alto. ;)

Salto-Alto disse...

Pedro Barata disse...

Um grande texto sem dúvida. Parabéns ao autor e ao fantástico saltinho!!! ;)

Beijinhos



Joaninha disse...

O Krippahl é um senhor pá!

E tem um sentido de humor hilariante.

Beijos saltinho :) (estes beijinhos são só para mim, não te aproveites!!!!!)´´



Pearl disse...

Gostei imenso de ler...muito bom mesmo!

beijo



Gracinha disse...

Lol, gostei bastante!



D.Antónia Ferreirinha disse...

ahahah.
gostei bastante.
beijinhos.



Skywalker disse...

Ora ate que enfim alguem que me parece que tal como eu nao subscreve a ideia de que temos que ser todos machos latinos.
parabens pelo texto.



Aralis disse...

Ainda bem que hoje em dia já é mais comum ver meninos assim!
Sim, todos somos diferentes, mas bolas ñ há que menosprezar ninguém!
beijokas e venham mais



Alguém disse...

Adorei o texto! Mesmo! Muitos parabéns Krippmeister!



Ninja! disse...

Olha, eu estava a conduzir um Renault Clio e tu um Dodge Viper, ok? Dá-me lá um desconto!



Ninja! disse...

E mais, desligar-me o comando da consola quando eu vou a frente, também não é muito simpático.



Parabéns, tal como eu, o resto dos comentadores também adorou! ;p