sexta-feira, 21 de julho de 2006

Opinião Pública

Desde que começei a escrever nesta calote da blogosfera* que me vejo assombrado com uma terrível dúvida - escrever em inglês ou em português? Ou ambos? Ou apagar o blog e abandonar a ilusão de que sei escrever seja o que fôr?

The truth is that some posts pop into my mind in english, others in portuguese. And I don´t want to delete my blog because the web needs a site with a background that looks like the wallpaper in a whore house.

Vai daí que a questão se divide em quatro categorias principais:

1 - Tás em portugal, és português, portanto escreves em português e não choras!

2 - O blog é um habitante da World Wide Web, portanto há que internacionalizar. Inglês!

3 - Se és cobardolas e nem esta decisão consegues tomar sozinho, então escreve nas duas línguas, a ver se eu me importo...

4 - Por mim até podias escrever em chinaburguês ó careca mongodebilóide! Não é por isso que esta merda de blog vai passar a ser interessante.

And there it is. Leave your valuable comment and help me make a better blog.


* O conceito inicial previa o termo "cantinho da blogosfera", que para além de ser nítidamente amaricado não é aplicável, visto que as esferas não têm cantos.
Calote é o termo correcto para designar uma porção de uma esfera. Com a vantagem de ser um termo muito mais viril e que me faz parecer mais inteligente...

11 comentários:

Alexandre Dias Pinto disse...

O Tonel de Diógenes tem um novo desafio de interpretação de uma obra de arte visual. Depois das mais de dez propostas de leitura estimulantes para a peça Menino Imperativo de Vespeira, desafiam-se os leitores a proporem significados para a escultura de Louise Bourgeois, ‘Maman’ (1999).

Acrescento que não é nessa intenção parasitar esta caixa de comentários, mas apenas dar a conhecer ao/às dinamizadores/as deste blogue uma nova edição iniciativa ‘Desafios à interpretação’, do Tonel de Diógenes (http://toneldiogenes.blogspot.com)

Krippmeister disse...

Ainda assim agradecia que o comentário contivesse algo relativo ao tema tratado no post, em vez de somente a publicidade à mamã do Bourgeois....

ar disse...

acho que podes continuar a escrever como bem te der na telha. Acho que o pessoal percebe tudo, e não deixa de vir cá por isso! E até dá um certo estilo e tal. ;)

Patricia disse...

Babe, qualquer que seja a língua em que escreves, continuas a ser sempre um cromo... dos bons, claro! :*

Fada da felicidade disse...

dá vontade de dizer 'escreve e cala-te! '
mas eu não ia dizer uma coisas dessas... porque parece que estou a ver-te dizer cada comentário escrito ehehe
beijinhos

Anónimo disse...

ahhhhh....que saudades das dúvidas existenciais 100% kripazóides!

Anónimo disse...

já agora, a anonymous sou eu...a nanisk, a worman...tu sabes...

Krippmeister disse...

Lindeza! Como é que encontráste o KrippArt? Mas ainda bem que encontráste :-)

Anónimo disse...

adorei todos os teus comentários.
Inglês ou português,that's the question : vai variando, mas acho que o comentário da tourada também deveria figurar em inglês para usofruto de todos os aspirantes a Hemingways que acham que passam a ter tomates por contribuirem para a divulgação e acreditação desta espécie de circo romano para DEFs.
Karin

Ana Maria Baptista disse...

Ia escolher a opção 4, mas depois vi que o teu blog n podia ser interessante... Mas escolho a 3 pois gostava de ver alguém com paciência de fazer um blog bilíng. Era de mestre, diz lá que não...

Ah e não, não me conheces, mas já ouvi falar muito de ti. Acerca da FBAUL devo dizer que tens 100% razão naquilo que dizes...

...E viva a PIA...

Krippmeister disse...

Bem vinda ao Krippart Ana.

Também estudaste nas belas-artes? Se sobreviveste intacta à lavagem cerebral, parabéns :-)