quinta-feira, 29 de março de 2007

O Enclave Cigano da Av. do Brasil

A Fada da Felicidade ousou sugerir neste post que a vista da janela do seu emprego é de tal forma bela que até lhe traz satizfação nos sábados passados a trabalhar. Consta que da janela vê um passeio marítimo qualquer na linha, com umas palmeirinhas fatelas junto ao mar. Coisa de gaja...

Da janela do open-space onde exerço a função de Director Executivo do Departamento Gráfico da Mr.Net - Divisão Ibérica*, pode admirar-se o magnífico Enclave Cigano da Av. do Brasil, esta sim, a melhor vista de qualquer janela de Portugal.
Posicionado algures entre o sagrado e o profano, é uma obra arquitectónica e social que ofusca o olhar com as suas formas e volumes sublimes, erguendo-se qual oásis fecundo no deserto urbano. Em termos cromatograficologicoscópicos, é-nos apresentado um esquema harmonioso que combina o amarelo mostarda com o vermelho ketchup, numa crítica mordaz à sociedade de consumo imediato, geralmente alheia às coisas belas da vida. Coisas essas aliás, tão simples como uma senhora de catorze anos com os seus dezassete filhos, a apanhar sol encostada a uma parede; uma criança de olhar meigo e inocente a escarrar da janela para cima de uma velhinha; ou um grupo de jovens vestidos numa mistura de D´Zrt com Zézé Camarinha, a vender telemóveis adquiridos coercivamente.

Há vida neste canto da cidade! As pessoas falam umas com as outras, gritam até, insultam-se regularmente, e de vez em quando ouve-se alguém a ser chinado numa esquina. Mas a festa não fica por aqui. Em ocasiões especiais, como num casamento de uma mulher de doze anos com um jovem de sessenta, montam-se toldos junto ao edifício e reúne-se a família (ou seja, toda a gente) para festejar o emparelhamento. As festividades duram dias, e são animadas por um característico som tecno-pimba étnico de leste, representativo das raízes culturais da região. O som é característico porque aparentemente o DJ Lello só tem um cd, e o cd só tem três músicas.

A foto não é representativa da verdadeira grandiosidade deste monumento, mas ainda assim, reflecte algumas das características estéticas que fazem do Enclave Cigano da Av. do Brasil um monumento de rara beleza.

*Há quem diga que este título é exagerado, alegando que o facto de eu ser a única pessoa a trabalhar em design na empresa não faz de mim director de coisa nenhuma, nem promove o meu cantinho caótico e desarrumado a "departamento gráfico".

8 comentários:

Allanah disse...

É por estas e por outras que apesar de tudo volta a e meia me apetece dizer: "QUE BOM VIVER NO CAMPO!!" :) Ve la se nao es tu chinado um dia destes, ainda algum cigano te le esta cena!! :P

Krippmeister disse...

Não tem razão para me querer mal, eu só digo coisas boas.

:)

Allanah disse...

Ja agr,da janela do meu trabalho(escola superior de turismo e telecomunicações de Seia, lol) veem-se ovelhinhas a pastaaaarrr, burrinhos a passear os donos nas suas carroças!! Pinhaiiisss!! Lindo!! Muito mais giro do qualquer um dos referidos neste post. :P Mas lá está, é um dos beneficios de viver no campo! Não podia ser tudo mau não é??

ar disse...

A foto, mesmo assim, não corresponde à descrição. :P Não te enganaste? Parace bastante pacífico até...

vestidosdechita disse...

AHAHAH!!
Eu adorei a descrição!

Anónimo disse...

Daqui em diante como é?
Passo a tratar-te por Sr. Director ou por Bruno?
:)
JPVale

Artur disse...

Ena! Adorei o post!

Agora quanto à foto: puxa, aquilo parece limpo e arrumado agora. Antes era diferente!

Nos tempos que trabalhei aí, é que era motivador para trabalhar... Então as discussões de meia-noite que pareciam que se iam matar todos... Ficavamos à janela a admirar a cena. Era melhor do que cinema!

Belos tempos.

P.S. - O avô sempre conseguiu casar com a netinha dele, depois de 2 anos?? :-P

Krippmeister disse...

Artur, seu ganda maluco! Como é?
Na foto o enclave cigano parece até mais civilizado, mas continua com aquele encanto que lhe é característico.