segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Pérola da Comunicação

Esta meus amigos, é a Padeirinha da Serra. Isto se acreditarem que é realmente uma boazona de negligé e saltos altos que faz o pãozinho todas as noites... e porque não? Há quem acredite na imaculada concepção, a partir daí tudo é possível. Mas falando a sério, eu percebo a mensagem, é um bocado o conceito da menina da bilha Pluma. É óbvio que não é uma modelo sexy de leste com um pernão até ao pescoço que nos entrega o gás, é um tuga gordo a cheirar a tabaco e bagaço, mas lá está, o sexo vende carros, vende roupa, vende perfumes, vende gás, e aparentemente vende pão.

Só não estou inteiramente convencido que seja boa ideia misturar uma mensagem sexual com comida. Até porque a padeirinha é da serra, e aqui na zona metropolitana de Lisboa o que há de mais parecido com uma serra é monsanto. Estão a ver o problema? Uma vez posicionada a padeirinha de lingerie e saltos altos na noite de monsanto, a expressão “com a mão na massa” toma interpretações preocupantes, precisamente porque é ela que me faz o pão do pequeno almoço. Já a menina da Pluma “com a boca na botija” tem uma conotação de certo modo mais encantadora...

24 comentários:

Allanah disse...

Mas onde raio vais tu desencantar estas maravilhas hein?? Pah, o desenho ainda por cima é horroroso... ate podia ser uma modelo de leste com um pernao ate ao pescoço que com esta cara nao se safava!

Miguel Krippahl disse...

Pela tromba do modelo depreendo que a padeirinha seja da serra... da estrela.

blogas disse...

Quem foi o autor de mais uma pérola? Terá sido o sócio-gerente da "Padeirinha da Serra"?
Dá sempre muito jeito, principalmente para as padeiras, trabalhar de saltos altos e lingerie!

Abobrinha disse...

Herr Krippmeister

Não percebeste: a lingerie é um alerta contra os perigos do aquecimento global! Ao pé dos fornos, particularmente, faz imenso calor! Isto vem na mesma lógica do meu post dos paneleiros e da tomada do mundo pelos amarelos, por isso não sei que credibilidade tem.

A parte dos saltos altos é mesmo só tara do dono da padaria (ou a moça é que é dona da padaria).

Por outro lado, forno a lenha pode ser só uma mensagem subliminar para "pau". Repara que ela está com a pá na mão, com um ar lascivo (deve estar, mas a qualidade do boneco é que não dá para mais!).

O teu texto é que está o máximo. Como de costume!

Joaninha disse...

Adoro o lenço vermelho as flores á cabeça. Dá-lhe assim um ar muito erotico não acham?
Está em completa sintonia com o resto da indomentária.
É lindo!

O Bocas disse...

Até que não era mal posicionar a padeirinha em cima da serra de Monsanto. Mas são só fantasias. Adiante...

Abobrinha disse...

Bocas

Esse posicionar foi assim um bocado a fugir para a badalhoquice! Isto é um blogue de respeito! ;-)

Abobrinha disse...

Herr Krippmeister

Hoje de manhã bem cedinho lembrai-me de ti. Para ser precisa, às 6:03 da manhã. E não, não foi ao acordar de nenhum sono mais perturbador, que é o que estás a imaginar a esta hora e o lógico porque às 6:03 da madrugada não é suposto um cristão estar na auto-estrada a tentar adormecer ao volante (como és ateu, não seria problema).

É que fiquei com a certeza absoluta que não inventas estas pérolas porque eu vi uma que seria giríssima se esta cristã tivesse máquina fotográfica e o camião estivesse mais perto: um camião de uma firma de (suponho) colchões com umas letras horrorosas (não, não eram comic sans) e... uma gaja nua desenhada com um ar lascivo em cima das letras.

Era positivamente ridículo e só tenho pena da falta de oportunidade.

A Silampos não tem destas publicidades, mas lembro-me quando era pequenina de qualquer coisa com a carochinha. Mas nessa altura havia desculpa porque as publicidades eram assim um bocado para o daaaah! e não havia tantos designers. Digo eu!

O Bocas disse...

"Bocas

Esse posicionar foi assim um bocado a fugir para a badalhoquice! Isto é um blogue de respeito! ;-)"
Peço desculpa... Preciso mesmo de um cristal para me limpar a aura. Vou falar com a Isabel Leal a ver se ela me vende um.

O Bocas disse...

Eu gosto mesmo é do pão quente a toda a hora. Aquele pão deve ser especial. O que eu compro normalmente arrefece em meia hora.

Abobrinha disse...

Bocas

Na volta a padeirinha enrola o pãozinho naquela camisa de noite ou no lenço horroroso (quem sabe, nos sapatos!). Aquilo tem todo o aspecto de manter seja o que for quente.

Eu já pedi ao Ludwig se ele metia uma cunha para me arranjar um cristal daqueles maravilha, mas ele não me ligou nenhum (o que só prova que é uma pessoa inteligente). Mas pelos vistos aquilo é tão comum que basta-te andar com um relógio analógico para estar protegido contra o mau olhado e a aura da badalhoquice.

Possivelmente tenho que me limpar mas é desses cristais, porque o badalhocómetro do meu blogue está a dar o berro!

O Bocas disse...

Cara abobrinha,

Por mim ela pode enrolar o pãozinho na camisa de noite. Nos sapatos é que não! Também há limites para a badalhoquice!

Abobrinha disse...

Bocas

Concordo. Ainda se fossem botas de montanhismo ou as minhas botas-maravilha que mostrei há um tempo, mas aquele sapatinho aberto de salto não tem aspecto de ser isento de odores nem de manter o pão quente!

Mas olha que o Herr Krippmeister tem um fetiche por sapatos altos e é capaz de discordar. Digo eu!

Abobrinha disse...

Essa dos limites da badalhoquice é um tema que dava pano para mangas... e eu tão desinspirada bloguisticamente!

O Bocas disse...

"Essa dos limites da badalhoquice é um tema que dava pano para mangas... e eu tão desinspirada bloguisticamente!"
Estou ansioso para ver a sua dissertação sobre a badalhoquice.
Sugiro o título: "Badalhoquice: um fenómeno social".

O Bocas disse...

"A Silampos não tem destas publicidades, mas lembro-me quando era pequenina de qualquer coisa com a carochinha. Mas nessa altura havia desculpa porque as publicidades eram assim um bocado para o daaaah! e não havia tantos designers. Digo eu!"
Gosto tanto das panelas da Silampos. Com els, posso c"u"zinhar sem me queimaaaaaar porra que me queimei!

Joaninha disse...

Abobrinha,

Não sei se o Herr Krippmeister tem fetiche com sapatos de salto alto, mas como sabes, eu ADORO sapatos, e quanto mais altos melhor. Só há uma coisa que me intriga na padeirinha é como é que ela se consegue manter de pé em uns sapatos tãããão pequenos. Eu acho que aquilo desafia as leis da fisica, mas isso sou eu que calço 3- biqueira larga, ehehehehe

Abobrinha disse...

Joaninha

Não sei se depois de uma certa e determinada saga de posts e da tua confissão que usas sapatos a modos que para o grandotes (eu calço 37, como toda a gente) será boa altura para dizer que os brasileiros chamam sapatona a uma mulher com as características das que descrevi na certa e determinada saga de posts...

Abobrinha disse...

Bocas

O fenómeno social da badalhoquice é o meu blogue. Neste momento o badalhocómetro está em obras (foi à fábrica para calibrar).

Claro que te podes entreter com o post sobre a importância social do corno (embora imagine que não reúna as preferências da maioria) ou sobra uma certa e determinada saga de posts! E não estou a falar do Red Bull air race!

Brevemente seguem novos capítulos de alto teor de badalhocómetro na Abobrinha, o blogue! Sobretudo porque eu descobri hoje que o sexo não foi inventado nos fins do séculso XX! Li isso no Público, por isso deve ser verdade.

NOTA: Não foi bem isso que eu li, claro, mas com a minha mente retorcida vai ser isso que eu vou tentar provar.

Abobrinha disse...

Bocas

Atendendo ao meu último post, podia mandar uma boca de cuzinhares com as panelas e paneleiro para aqui ou para acolá, mas iam-me cair em cima (salvo seja) a dizer que serias gourmet ou chef ou funileiro. Esta gente é muito sensível (nem por isso: eu é que sou muito dramática)!

Mas podes sempre dar uma ajudinha ali no forno à padeirinha. Aquele pau, digo, aquela pá nas mãos dela parece um perigo! E se ela deixa cair aquilo por não se aguentar nos saltos altos desafiadores das leis da física? Toda a zona metropolitana de Lisboa + Monsanto fica sem pão!

O Bocas disse...

"Atendendo ao meu último post, podia mandar uma boca de cuzinhares com as panelas e paneleiro para aqui ou para acolá, mas iam-me cair em cima (salvo seja) a dizer que serias gourmet ou chef ou funileiro. Esta gente é muito sensível (nem por isso: eu é que sou muito dramática)!"
Ups! Bem posso pintar a tromba de preto!

"Mas podes sempre dar uma ajudinha ali no forno à padeirinha. Aquele pau, digo, aquela pá nas mãos dela parece um perigo! E se ela deixa cair aquilo por não se aguentar nos saltos altos desafiadores das leis da física? Toda a zona metropolitana de Lisboa + Monsanto fica sem pão!"
Eu não tenho nada contra o pau. Eu até gosto de ver o pau nas mãos dela!

Abobrinha disse...

Bocas

A tromba de preto? Queimaste o cuzinhado ou passou-me alguma coisa ao lado?

Essa do pau nas mãos de uma senhora é comparável à trincha nas mãos da "outra" com as suas aventuras no reino da pintura de construção civil. O que me lembra que ainda não esclareci devidamente a problemática do pau da vassoura! Estou em falta, mas o badalhocómetro ainda não está calibrado!

Abobrinha disse...

Não que me tenham perguntado, mas podem-me ver agarrada ao pau da vassoura no meu estaminé! O badalhocómetro ainda não está em plena forma, mas está a caminho disso!

Joaninha disse...

Então pá!!
Toca a trabalhar, queremos mais jack!!!!!